11 de jun de 2013

Quando ela se olhou no meu espelho.


Ela se acha feia enquanto se olha da cabeça aos pés com o maior olhar de reprovação que já se viu no mundo. Ah, se ela soubesse que quando aparece na minha frente é como se ligassem um holofote e apagassem todas as outras luzes do mundo. Ela tem aquilo que toda mulher tem antes de sair de casa: insegurança pré-encontro. Diz que não tem roupa nenhuma pra usar, se joga na cama bufando pelos cantos e se irrita a ponto de chorar por se sentir gorda e descabelada. Se ela soubesse que top model nenhuma tem as curvas perfeitas dela que se adaptam às minhas mãos no momento em que as cócegas a fazem sorrir de felicidade…

Ela me pergunta o que eu acho dela. E se eu fosse ser sincero demais, talvez ela não acreditasse. Que mulher vai acreditar que eu a vejo como a coisa mais importante do mundo ? Pode soar falso quando a gente fala verdade demais. É preciso medir as doses e aplicá-las em pequenas quantidades de tempos em tempos. Ah, se ela soubesse o quanto seus olhos refletem a vida que eu quero ter um dia e como os seus lábios me chamam com paixão e ternura de um modo que eu me perderia em tudo o que ela dissesse com atenção e devoção. Ela brinca de ciranda com meus olhos. Pra lá e pra cá enquanto eu espero pacientemente pelo seu ritual de preparo para um jantar qualquer. Uma hora, duas horas e nem me importo mais se conseguiremos lugar na fila ou se teremos que comer um cachorro-quente na esquina. Ah, se ela soubesse o quanto eu gosto de puxar os cabelos dela e sentir o cheiro deles de manhã cedo quando acordo…

Ela é linda, inteligente, charmosa, encantadoramente minha. Mas se perde em devaneios quando pensa sobre si mesma. Eu diria que essa inconstância gostosa faz parte de toda mulher. Mas não. É dela e só dela. É ela quem chega, tímida e acanhada, e me arranca um sorriso torto de quem não quer sair dali de jeito nenhum. E ela quem joga as pernas por cima das minhas enquanto o filme vai ficando mais chato a cada minuto. E ela mesma quem chora com um final feliz. Dá gosto de estar com uma mulher assim, sabe ? Ah, se ela soubesse como o rosto dela reluz todas as vezes em que acredita num final feliz. Me dá vontade de ficar pra sempre e oferecer o meu “pra sempre feliz” pra ela, sem final nenhum. Menina bonita, sabe ? Dessas que poderiam facilmente se passar por mocinha de filme romântico e vilã de animação. Ela tem um jeito bobo de não acreditar quando eu digo que ela está magnífica quando prova uma roupa e me pergunta o que eu acho. E daí ficamos mais alguns muitos minutos enquanto ela trava essa batalha com o espelho e eu me divirto com a irritação desnecessária dela. Ah, se ela soubesse quão sexy ela fica todas as vezes que prende o cabelo e veste aquele roupão de seda quando sai do banho para provar uma roupa…

E daí que ela finalmente se arruma e aparece, encantadora, na minha frente. E aquele “que tal ?” parece pergunta com a resposta mais óbvia do mundo. É claro que você está da forma mais majestosa que artista algum conseguiria descrever em pinturas, fotografias ou palavras. Garota, você sabe quão maravilhosa você é ? Acho que não faz idéia da força que tem nos olhos, no andar marcante, nas pernas torneadas. Nem imagina o quão bonitos são teus gestos, a tua tatuagem bem desenhada na panturrilha e a argola no nariz que te deixa com aquele ar de menina indie que gosta de bandas esquecidas. Você nem deve entender o porquê da minha admiração enquanto você traja um vestido florido meio bobo, meio sem graça, que não faz a menor diferença quando o assunto é sobre você. E as pessoas na rua vão perceber. Vão reparar que não tem roupa, nem acessório e muito menos salto alto que possam desbancar uma mulher dessas na minha frente. E a minha boca aberta não é de espanto nem de surpresa: é de constatação. Meu bem, você é algo que eu nem sei dizer direito. Assim, do seu jeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oba! Mais um salzinho vai comentar! Volte sempre :)

Plágio é Crime. Tecnologia do Blogger.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...